Crie seu próprio Site Grátis! Templates em HTML5 e Flash, Galerias em 2D e 3D, Widgets, Publicação do Site e muito mais!

Tudo Sobre Animais Carnívoros

Tudo Sobre Animais Carnívoros

Animais carnívoros, tal como o nome indica, são aqueles indivíduos que se alimentam predominantemente de carne. São considerados predadores, já que removem indivíduos da população, ao capturá-los para este fim. Tais animais se alimentam de herbívoros, mas podem também ter como fonte nutricional indivíduos com esse mesmo hábito. Assim, podem ser consumidores secundários, no primeiro caso, ou terciários em diante, nos outros casos. 

Alguns carnívoros perseguem suas presas sozinhos: estratégia que pode não ser tão eficiente quanto uma caçada em grupo. Assim, animais como leões e hienas e algumas espécies de formigas preferem se unir para capturarem um alimento maior e sem correrem grandes riscos de vida (ou de voltarem da caça sem alimento). 

Adaptações, como dentes que permitem morder a presa e rasgar sua carne, são essenciais para que exerçam este papel ecológico. Garras e bicos afiados, em caso de algumas aves, facilitam esse mesmo processo; e mandíbulas de determinadas serpentes têm capacidade de se alargar e deslocar a fim de que o alimento seja engolido. Olfato e audição bem desenvolvidos facilitam a localização do alimento. 

Para evitar a predação, as presas podem utilizar estratégias, como se esconder, advertir ou lutar bravamente. 

Tais como animais herbívoros e onívoros, carnívoros exercem importante papel no controle populacional de outras espécies. 

Curiosidade: plantas carnívoras são consideradas predadoras: consumidoras secundárias

                                                Dinossauro Rex:O Animal Mas Carnivoro Do Mundo

Quando foi descoberto o T.rex espantou os especialistas da época. Seu tamanho avantajado, suas mandíbulas gigantescas e seus dentes como punhais faziam  desse animal uma visão impressionante. A primeira imagem que passou para os paleontólogos foi a de um animal poderoso, feroz e implacável, capaz de matar qualquer coisa viva que cruzasse seu caminho. 

O problema é que a ciência não pode deixar-se levar por impressões. Até então não havia nenhuma prova científica conclusiva que comprovasse que o tiranossauro era um predador. Ainda sim a imagem do vilão pré-histórico perdurou por décadas.

Filmes, desenhos, em todos os lugares os tiranossauros eram ferozes e cruéis dinossauros sempre prontos a liquidar uma vítima indefesa.

Mas havia um homem que começava a duvidar dessa imagem. Um paleontólogo norte-americano que começou a questionar a imagem de "bad-boy" do tiranossauro. Esse homem era Jack Horner.

Horner já ficara famoso dentro da Paleontologia graças a suas descobertas e seus estudos dos ninhos e do comportamento maternal do Maiasaura, um dinossauro bico-de-pato do final do Cretáceo. Mas agora ele pretendia ir à fundo no caso do tiranossauro. Horner não acreditava em impressões e decidiu fazer ciência de verdade, procurando provas reais e não simplesmente aceitando uma idéia imposta pela aparência. 

Depois de algum tempo de pesquisa Horner trouxe uma nova idéia que chocou a comunidade científica: ele acreditava ter encontrado provas de que o tiranossauro não era um predador, mas um necrófago, um carniceiro, tal como abutres e urubus, só que bem maior. 


O tiranossauro tinha braços muito curtos e fracos, incapazes até mesmo de se tocarem um ao outro. Eram praticamente inúteis. Sem ter braços fortes o tiranossauro seria incapaz de apanhar uma presa ou segurá-la durante uma luta. Sem poder segurar o tiranossauro seria incapaz de caçar. 

Sobre a velocidade...

Os membros traseiros do tiranossauro apresentam particularidades que levam a crer que ele era incapaz de correr. Os ossos da canela e da coxa são praticamente do mesmo tamanho, o que difere da maioria dos animais velocistas que apresentam ossos da canela levemente maiores que os da coxa. O tiranossauro provavelmente era um animal adaptado para andar por grandes distâncias, mas não para correr. Mesmo que corresse é provável que não fosse muito veloz.  

Sobre o olfato...

Estudos internos utilizando tomografia computadorizada demonstraram que o cérebro do tiranossauro apresentava um enorme bulbo olfativo. Também mostraram que a cavidade olfativa do tiranossauro era a maior entre todas as criaturas fósseis, em proporção ao tamanho da cabeça. Esses dados indicam que o tiranossauro tinha um sentido de olfato excepcional, sendo talvez o mais importante de todos.Tendo um olfato tão bom é provável que o T.rex pudesse sentir odores  à quilômetros de distância. Essa capacidade permitia ao animal detectar carcaças muito distantes. É mais um indício de que ele, na realidade, era um carniceiro.

Sobre a visão...

Ao estudar o cérebro do tiranossauro Horner acredita que a região correspondente à visão era pequena demais. Para ele essa é uma prova de que o tiranossauro não tinha uma boa visão. Sem uma boa visão o tiranossauro teria dificuldade de conseguir caçar. 

Sobre as provas fósseis...

Já foram encontrados coprólitos (fezes fossilizadas) de tiranossauro com restos de ossos de dinossauros e marcas de dentes de T.rex em ossos da bacia de um Triceratops, o que prova que o T.rex comia carne, principalmente de outros dinossauros. Mas não prova que ele tenha abatido tais criaturas. A presença de ossos bem triturados indica que o tiranossauro comia grande quantidade dos mesmos, característica de um carniceiro que teve de se contentar com os restos deixados por outros carnívoros, incluindo ossos. 

Essa lei pode ter sido válida há 65 milhões de anos, na época do T.rex. Não se sabe de nenhum dinossauro grande o suficiente para enfrentar o rei naquele ecossistema.  Com sua aparência rude, seu enorme tamanho e seu urro assustador o T.rex poderia espantar qualquer um.

Talvez, quando fosse muito velho, fraco demais para assustar alguém, o tiranossauro sobreviveria de restos que, com sorte, pudesse arranjar.